VEM PRO GOOGLE

VOCÊ ENCONTROU O QUE QUERIA? PESQUISE. Nas guias está a matéria que interessa a você.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.
GUIAS (OU ABAS): 'este blog', 'blogs interessantes', 'só direito', 'anotações', 'anotando e pesquisando', 'mais blogs'.

quinta-feira, 1 de novembro de 2007

ATENDIMENTO DE EMERGÊNCIA - CONSULTAS

fonte: http://www.cdof.com.br/socorros4.htm#1

624. A L-carnitina ajuda a reduzir a massa gorda?- 31/08/03
Respeito da carnitina comentada na questão 105: Faço Educação Física na UNI-BH e estou no segundo e no terceiro período. Escutei de minha Profa. que a carnitina é uma substância que junto com o acetil-coA leva àcido graxo a célula para ser digerida no ciclo do àcido cítrico, para ser quebrado e produzir energia. E a carnitina é reciclável, ela leva o àcido graxo na célula (na mitocôndria) e depois volta para pegar mais àcido graxo, então não há benefício algum com a utilização da carnitina pois não vai acelerar esse processo. Mas muitas pessoas tomam a L-carnitina e sentem que estão perdendo massa gorda mais rápido. Isso seria verdade ou é o psicológico?Othon Capdeville
Oi Othon, o Ft. Marcos Vidal(currículo) lhe retorna o seguinte:
Olá, A Carnitina é solúvel em água, pode ser sintetizada a partir de aminoácidos, principalmente lisina, e apresenta estrutura química com uma cadeia curta de ácido carboxílico – similar a alguns aminoácidos – e apresenta características compatíveis com vitaminas do complexo B, polemizando a sua definição. Para efeitos didáticos assumiremos neste texto a classificação de aminoácido. A Carnitina apresenta-se em dois tipos:
L-Carnitina possui ação mais efetiva no coração, enquanto que a acetyl-L-carnitina atua mais na modulação do metabolismo cerebral, sendo francamente utilizada por neurologistas e psiquiatras como coadjuvante no tratamento da doença de Alzheimer, doenças da placa neuromotora, neurastenias e depressão.
A L-carnitina e a acetyl-L-carnitina também participam diminuindo o nível de triglicérides e aumentando o nível de colesterol HDL(porção benéfica do colesterol) por carrear os ácidos graxos até as mitocôndrias, depurar a gordura da corrente sangüínea e elevar os níveis de porfirina e, conseqüentemente, os níveis de hemácias e hemoglobina.
Quando a ingestão de carnitina estiver associada e ajustada a atividade física correta ocorrerá a conversão da gordura em energia, com o aumento da performance muscular. Estudos demonstraram que a diminuição das concentrações de toxinas na mitocôndria que alteram o DNA mitocondrial diminuindo sensivelmente a produção de energia e também que o uso da carnitina deve ser associado a atividade física.
Apesar dos mecanismos não estarem completamente esclarecidos, a “queima de gorduras” tem encontrado sustentação tanto pela atuação da L-carnitina, presente nos dois tipos, pois eles atuam como facilitadores e catalisadores do metabolismo de conversão dos lipídios/ácidos graxos. É bem possível que ocorra auto-sugestão, mas neste caso ela irá apenas potencializar a ação da carnitina. Esperando ter colaborado. Um abraço, Marcos Vidal
SUGESTÃO: The Carnitive Connection – Winifred Conkking – St Martins Paper Backs
Leia mais:
L-Carnitina
L-Carnitina e L-Arginina
A Creatina e a Glutamina


625. Desmaio após gargalhada forte- 31/08/03
Por duas vezes já desmaiei logo após uma gargalhada forte. Qual será o motivo e qual o tipo de médico devo procurar para resolver este problema? Kleber Barbosa da Silva
Oi Kleber, contamos com a colaboração do Ft. Marcos Vidal(currículo) para lhe esclarecer a dúvida, veja:
Olá Kleber, O mais indicado para detectar se a privação de sentidos ocorreu por diminuição de oxigênio – hipoxemia – ou tem outra causa é iniciar por um neurologista e depois por um cardiologista, caso haja necessidade. Esperando sempre o melhor. Um abraço. Marcos Vidal


626. Acidentes na academia- 02/09/03
Oi Prof. Fernando, estou com uma dúvida que é muito comum entre os colegas na academia em que trabalho. Se um aluno tem algum acidente nas máquinas da academia, tipo, prende a mão no banco supino, cai a barra sobre o tórax, escorrega o pé no leg press lesando a canela, ou outro acidente qualquer, o que você aconselha fazer e se o aluno tem direito de nos processar por isso. espero ansiosa a resposta. um abraço. Nina
Olá Nina, repassamos a questão para nosso Consultor Prof. Fernando Barreiro(currículo) e veja o que ele lhe aconselha:
Vamos por partes. Quanto aos acidentes mencionados, é atender e pronto. Como você se refere a generalidades em relação às ocorrências, cada caso é um caso. Quanto ao aspecto legal, lembre-se que atender é sempre melhor que omitir o socorro, pois é lei. Ainda que o aluno fique revoltado, e é de se entender, mesmo que fique provado que a culpa foi do estabelecimento, por falta de manutenção, etc, o fato de prestarem o pronto atendimento já será um atenuante, mas, como não sou advogado, acho que você deveria consultar um para ver o que pode realmente ocorrer nesses casos.
Se quiser especificar as ocorrências, é só enviar para mim que te esclarecerei como proceder em cada uma delas.
Atenciosamente . Fernando Barreiro


627. Defesa no voleibol- 03/09/03
Sou estudante do 4° período de Educação Física e meu professor de Voleibol pediu que fizéssemos um trabalho sobre o fundamento DEFESA, onde teríamos que descrever o fundamento e elaborar um plano de aula para turmas de iniciantes, intermediários e avançados. Gostaria muito da ajuda de vocês. E gostaria também de parabenizá-los pelo excelente site. Thatyanna Flávia Matozinhos
Oi Thatyanna, sua questão recebeu a atenção do Prof. Rogério Eduardo Tavares Frade(currículo), quem traz o seguinte:
Olá Thatyanna tudo bem? Existem poucos artigos que falam sobre defesa; mas existe um livro que é somente sobre este tema: Voleibol - Moderno Sistema Defensivo - Jorge Barros de Araújo (Jorjão) - Editora: Palestra
E também no site www.revistadovolei.com.br no link "teses" você encontrará uma tese sobre defesa.
Obrigado. Prof. Rogério Frade


628. Cãibras e estiramentos- 04/09/03
Como proceder nas cãibras e distensões e como diferenciá-las? Marcos Paulo - Prof. de Educação Física (Hidroginástica e Natação)
Olá Marcos, repassamos esta questão para o nosso Consultor Prof. Fernando Barreiro(currículo) e veja o que ele diz:
Cãibras são contrações longas onde, geralmente, as causas podem ser: falta de condicionamento físico, problemas circulatórios, etc...
Distenções, que na verdade chamam-se estiramentos, são lesões características de músculos, tendões e nervos.
O atendimento imediato é: imobilização da área atingida e aplicação de gelo (envolto em saco plástico), de seguinte forma: compressas por 20' com intervalos de tempo igual, repetindo a aplicação por três vezes.
Isso durante no máximo 72 horas.
Ao persistirem os sintomas, há necessidade de consultar um Fisioterapeuta. Atenciosamente. Fernando Barreiro

Leia mais:
Cãibras e Hidroginástica
Cãibras Musculares
Hidratação e Cãibra Muscular

629. Cirrose, colestase e tumor de fígado - 04/09/03
Gostaria de receber informações sobre a fisiopatologia da cirrose, colestase e tumor de fígado. Grata! Shirlei Barbosa dos Santos
Olá Shirlei, enviamos a sua questão para alguns consultores e quem nos retornou foi o nosso consultor Ft. Marcos Vidal Pires Dourado(currículo), veja:
Shirlei, dada a abrangência da sua questão, vou apresentar as informações básicas de cada quadro, iniciando por cirrose.
Cirrose foi o nome dado pelo médico francês René Hyacynthe Laënnec (1781-1826) para descrever o aspecto nodular amarelo alaranjado apresentado pelo fígado neste quadro. Aspecto semelhante as nuvens laranja avermelhadas do tipo cirros (kirrós, do grego). A cirrose é caracterizada por alterações regressivas dos hepatócitos, reação inflamatória crônica esclerosante e fenômenos regenerativos do tecido hepático, simultâneos. Os componentes isolados não constituem cirrose.
Alguns tipos de cirrose evoluem com icterícia, impregnação dos tecidos corporais com sangue e alta concentração de bile ou bilirrubina. Dois são os fatores que causam icterícia: obstrução das vias hepatobiliares e destruição de hemácias levando a desintegração da hemoglobina que leva ao excesso de pigmentos – hemossiderina e ferritina .
As cirroses podem ser didaticamente classificadas como:
. Cirrose de Laennec, gordurosa e pós necrótica
. Cirroses biliares, colostática, colangítica e mistas
. Cirroses parasitárias, esquistossomose, calazar
. Cirroses pigmentadas, transfusão sangüínea, hemocromatose,
. Cirrose cardíaca ou de estase
A colestase é a diminuição do fluxo de bile levando a congestão em qualquer ducto biliar, dentro ou fora do fígado.
A estase nos ductos biliares podem se dar por: agenesia completa ou parcial dos ductos biliares (cirrose biliar colostática), obstrução dos ductos por fibrose ou gorduras (cirrose hepática em grau avançado) e compressão mecânica do ducto – tumores hepatobiliares – tumor ou carcinoma hepático smetastático é mais freqüente que os carcinomas primários, associados com a cirrose hepática. O lobo direito do fígado é o mais comprometido nos carcinomas metastáticos, as metástases ocorrem mais freqüentemente nos gânglios linfáticos do hilo hepático e hilo pulmonar, na veia porta e nas veias hepáticas. Os carcinomas hepáticos podem ser diferenciados por sua estrutura, disposição e caráter infiltrativo, os mais freqüentes são: carcinoma hepatocelular adenomatoso ou alveolar, carcinoma anaplásico
e carcinoma colangio-celular.
Shirlei, se houver necessidade de esclarecimentos adicionais ou alguma informação mais específica, dentro deste, ou qualquer outro assunto, estarei sempre disponível. Marcos Vidal


630. Atendimento de Emergência - conceito - 05/09/03
Gostaria que o senhor expusesse, não somente o conceito de atendimento de emergência, mas também os tipos de transporte e para que caso será utilizado cada um deles. Rodrigo Luiz dos Santos
Olá Rodrigo, aqui vai o que o Prof. Fernando Barreiro(currículo) informa:
Atendimento de Emergência é aquele prestado de imediato, geralmente no local da ocorrência.
Atualmente não se usa mais o termo Primeiros Socorros e sim Atendimento de Emergência Pré-Hospitalar, isso quando refere-se à todos os procedimentos tomados no local, contanto q. este local não seja o ambiente hospitalar.
Em relação aos transportes, é uma resposta muito longa, pois dependerá de vários fatores: nº de pessoas disponíveis p/ realizar o transporte / peso da vítima / lesão ou estado clínico da vítima e local do evento. Portanto, não posso responder, aqui, pois simplesmente, cada caso é um caso em particular.
Fernando.


631. Convulsão por hipotensão arterial após cirurgia de safena- 07/09/03
Bem, meu pai foi submetido a uma cirurgia de 3 safenas e 2 mamárias com sucesso, mas com 13 dias em casa se recuperando ele deu um susto na gente. Sua pressão caiu, os olhos começaram a virar, a língua a retorcer. Qual seria o melhor procedimento ? Rafael de Oliveira Perrone-estudante UFRJ
Oi Rafael, em atenção ao seu pedido o Prof. Fernando Barreiro(currículo) informa o seguinte:
Primeiramente, espero q. seu pai esteja bem. Em segundo, que após o susto, tenham entrado em contato com o médico.
Vamos ao procedimento: aconteceu. Agora veja os sinais vitais: respira? Tem pulso carotídeo? Se sim, está vivo. Então, coloque-o lateralizado sobre a esquerda se estiver inconsciente e só, enquanto liga para o médico. Se estiver consciente, coloque-o em decúbito dorsal, com hiperextensão da cabeça e os membros inferiores elevados no máximo 30 cm. Tudo isso porque, provavelmente, seu pai teve uma brusca hipotensão arterial, o que poderia explicar em parte os olhos revirados, devido a hipóxia cerebral. A hipóxia cerebral é considerada a maior causadora de convulsão e inconsciência, e logicamente uma brusca hipotensão arterial diminui a força de contratilidade do miocárdio, com diminuição do volume sistólico, o que acarreta menor oxigenação cerabral, e aí, bem, aí o final é isso q. te expliquei no início.
Atenciosamente. Fernando Barreiro

632. Lesões no futebol - 07/09/03
Estou fazendo um trabalho para o colégio e gostaria de saber: quais são as lesões mais frequentes em pessoas que jogam futebol? Rodrigo Silva Pigatto - Estudante
Oi Rodrigo, veja o que o Prof. Ms. Fabio Aires da Cunha(currículo), lhe retorna:
Prezado Rodrigo, com certeza as lesões mais comuns no futebol são nas articulações do joelho e tornozelo e, na musculatura da coxa, principalmente posterior. Se você observar a exigência física durante uma partida de futebol poderá constatar porque essas lesões são mais comuns. As articulações são exigidas muito em função de mudanças de direção, impactos com o solo e traumatismos, principalmente por faltas recebidas. As lesões musculares ocorrem, principalmente em função das arrancadas, movimentos específicos do jogo e chutes, ou seja, durante atividades de potência e velocidade.
Você poderá encontrar diversos livros e artigos que falam sobre lesões no futebol. Procure em:
www.bireme.br
www.apice.med.br

Lesões do Esporte Prevenção e Tratamento. Lars Peterson, Per Renström. Manole, 2002.
Lesões nos Esportes Diagnostico Prevenção Tratamento. Cohen Abdalla. Revinter, 2003.
Um abraço, Fabio.

Segundo o Manual de Medicina do Esporte - Fascículo 2 da Sociedade Brasileira de Medicina Esportiva - Dr. João Gilberto Carazzato
Atendimentos executados com frequência de 3 horas semanais durante 20 anos (1972 - 1992) ininterruptos para Futebol e o Futsal.

Futebol
Segmentos Corpóreos Futebol
% de Lesões Futsal
Segmentos Corpóreos Futsal
% de Lesões
Joelho 31,6 Joelho 22,1
Tornozelo 23,4 Coxa 21,3
Coxa 16,9 Tornozelo 17,2
Pé 9,0 Pé 11,5
Perna 5,7 Coluna 7,6
Coluna 3,9 Mão 6,0
Mão 2,9 Perna 5,6
Cotovelo 1,8 Cotovelo 2,1
Ombro 1,1 Ombro 1,8
Antebraço 1,1 Punho 1,4
Bacia 0,7 Bacia 1,2
Braço 0,4 Antebraço 0,8
Punho 0,4 Braço 0,2

Futebol
Tipo de Lesão Futebol
% de Lesões Futsal
Tipo de Lesão Futsal
% de Lesões
Entorse 23,5 Entorse 23,5
Rótula Muscular 17,8 Rótula Muscular 20
Contusão 11,0 Contusão 15,1
Menisco - Ligam. Joelho 13,1 Menisco - Ligam. Joelho 11,9
Mioentesite 4,6 Mioentesite 3,8
Rótula Sub-Luxans 7,8 Rótula Sub-Luxans 2,6
Fraturas 5,7 Fraturas 5,5
Coluna 1,8 Coluna 5,5
Tendinite 0 Tendinite 1,6
Osteocondrite 8,5 Osteocondrite 3,9
Periostite 0,4 Periostite 1,8
Neurite 0 Neurite 0,1
Bursite 0,4 Bursite 1,8
Luxação 3,5 Luxação 0,9
Artrose 0 Artrose 0,3


633. Uso de botas ortopédicas- 07/09/03
Gostaria de fazer o meu trabalho de conclusão sobre a indicação de bota ortopédica para crianças com pé plano. O que vocês acham, é correto o uso dessas botas ou não? Juliana - estudante de fisioterapia.
Oi Juliana, sua questão recebeu a atenção de Ft. Thiago Boiago Nishida currículo), veja:
Juliana, Não sei se sua monografia será com criancas PC ou não, se nao for PC acredito que a bota não fará tanto efeito, mas por outro lado uma vez que ainda não existe qualquer alteração irreversivel no pé da criança. Pode ser que você consiga prevenir um pé plano adulto e suas complicações. Nunca li a respeito disso. Pessoalmente, achei uma ótima ideia! Thiago Nishida


634. Tratamento cinesioterápico para escoliose postural em adolescentes - 07/09/03 - Klonne - Estudante
Oi Klone, sua questão recebeu a atenção de nossos Consultores:
Ft.Patricia Costa Amâncio (currículo):
Olá! Bom, o tratamento cinesioterapêutico para escoliose postural em adolescentes consiste de uma série de exercícios e posturas que visam reequilibrar a musculatura e criar uma nova consciência corporal. Atualmente, existem muitas técnicas dentro da Fisioterapia com essa finalidade, entre elas a cinesioterapia tradicional, o RPG, o RPM, manipulações articulares, etc.

Ft. Thiago Boiago Nishida(currículo):
Klonne, O tratamento cineisioterápico na escoliose em adolescentes é fundamental, pois ainda é possivel diminuir o grau da escoliose. A cinesio funciona muito bem, os exercicios de Klapp são uma boa indicação para o tratamento. Hoje em dia, usa-se o RPG, por ser uma técnica eficiente e com resultados excelentes. Thiago Nishida

Leonardo Duarte Picchi(currículo),:
Klonne, existem alguns exercícios que podem ajudar a melhorar uma escoliose postural. Basicamente são exercícios de fortalecimento da musculatura da convexidade e alongamento da musculatura da concavidade.
Qualquer dúvida nos comunique.



635. Teste de carga máxima que não seja o de 1RM - 07/09/03
Preciso de um teste de carga máxima que não seja o de 1RM. Existe outro mais concreto? Leandro
Oi Leandro, sua questão recebeu a atenção de dois colegas, veja:
Prof. Leandro Mendes de Carvalho(currículo),
Caro Leandro, o único teste conhecido para se avaliar a carga máxima que um indivíduo pode levantar é o Teste de 1RM. No caso de iniciantes ou populações especiais como idosos, hipertensos, adolescentes, o teste de carga máxima não é recomendado. Então pode-se utilizar um teste de 3 ou 5RM (submáximo) que pode ser convertido para 1RM através de uma tabela específica. Sugiro que consulte a bibliografia recomendada abaixo para saber como aplicar o teste corretamente, utilizando a referida tabela. Espero ter auxiliado de alguma forma. Abraços.
Referência Bibliográfica: TREINAMENTO DE FORÇA CONSCIENTE, Bompa T.O., Cornacchia, L.J., Phorte Editora, 2000.

Prof. Divanei Zaniqueli (currículo):
Caro Leandro, realmente a única forma de conhecermos a carga máxima que um indivíduo é capaz de levantar é a realização de um teste de 1 RM. Talvez o que te cause problemas é o cálculo do percentual da carga a ser utilizado depois da realização do teste. A literatura trás os percentuais com base nos testes realizados nos estudos, no entanto quando vamos colocar em prática, os erros são inevitáveis Se este for o seu problema, não se aflija. Na verdade não há como esses testes serem 100% confiáveis. Esse teste na verdade serve para termos um parâmetro confiável dos resultados alcançados . Na minha opinião, a quantidade de carga que um aluno deve levantar deve ser determinada pela sensação subjetiva de esforço, deixando o teste apenas como controle dos resultados.


636. Durante o exercício, quando o corpo entra em cetose? - 07/09/03 - Normando Barreto Cruz
Olá Normando, sua questão recebeu a atenção de dois de nossos Consultores, veja o que eles lhe explicam:
Prof. Leandro Mendes de Carvalho (currículo),
Caro Normando, a cetose, durante o exercício aeróbio, só ocorre em casos de restrição ou depleção extrema de carboidratos no organismo. Isso normalmente ocorre com pessoas que se utilizam de uma dieta muito pobre ou isenta de carboidratos, por acharem que esses nutrientes irão "engordá-los". Fisiologicamente falando, essa condição de cetose ocorre quando a acetil CoA e os ácidos graxos livres provenientes do tecido adiposo se acumulam nos líquidos extracelulares por não conseguirem entrar no Ciclo de Krebs, devido à falta de piruvato, que é produzido durante o fracionamento dos carboidratos. Se essa condição persistir por muito tempo, a acidez dos líquidos corporais aumentará até alcançar níveis potencialmente tóxicos. Espero ter sanado sua dúvida. Abraços.
Ref. Bibl.: FISIOLOGIA DO EXERCÍCIO, ENERGIA, NUTRIÇÃO E DESEMPENHO HUMANO, McArdle, Katch&Katch, 4a. Edição, Ed. Guanabara Koogan

Prof. Divanei Zaniqueli (currículo):
Caro Normando, os corpos cetônicos são um produto da beta oxidação . A formação dos corpos cetônicos objetiva permitir o transporte da energia, oriunda da oxidação dos ácidos graxos, para os tecidos periféricos para serem utilizados na síntese de ATP. A produção dos corpos cetônicos é uma condição fisiológica natural, portanto a todo momento temos uma quantidade limitada de corpos cetônicos na corrente sangüínea. A Cetose caracteriza-se por uma quantidade muito elevada destes corpos cetônicos, e ocorre mediante a esquemas rígidos de dieta ou nos casos de jejum prolongado. A Acidose Metabólica causada pela Cetose eleva os níveis de amônia, provocando mal hálito e uma alta toxicidade. Respondendo mais claramente, o corpo entra em Cetose quando não temos estoques de carboidratos para serem utilizados.

637. Por que dividir o treinamento de Musculação em séries?- 07/09/03
Gostaria de saber se existe algum sentido em fazer exercícios em série ao invés de fazer uma série de "x" repetições. Fabiano Tavares
Olá Fabiano, sua questão recebeu a atenção de Prof. Leandro Mendes de Carvalho(currículo), veja o que ele diz:
Bem Fabiano, não entendi muito bem a sua pergunta quanto a "...fazer exercícios em série...". O que posso lhe dizer é o seguinte: as séries e repetições nos exercícios de musculação são programadas para que se controle o volume total de treinamento e sua relação com a intensidade do mesmo. Dependendo da fase do treinamento em que se encontra um individuo, pode-se fazer menos séries com mais repetições e menor carga ou mais séries com menos repetições e maior carga, ou seja, quanto maior o volume de séries, menor será a intensidade (carga) do treino e vice-versa. Tudo depende da fase do treinamento, por isso a periodização do mesmo deve ser bem elaborada, já que cada fase possui uma relação específica entre volume e intensidade.
Espero ter sanado suas dúvidas. Se desejar consulte bibliografia anexa. Abraços.
TREINAMENTO DE FORÇA CONSCIENTE, Bompa T.O., Cornacchia L.J., Phorte Editora, 2000
CIÊNCIA E PRÁTICA DO TREINAMENTO DE FORÇA, Zatsiorsky V.M., Phorte Editora, 1999.
Prof. Divanei Zaniqueli (currículo), nos traz:
Caro Fabiano, a quantidade de séries a serem realizadas em um exercício, relaciona-se com os objetivos que se desejam alcançar. Assim, séries únicas podem ser eficientes para aumentar a força de indivíduos com baixa aptidão física mas provavelmente não será capaz de trazer modificações estéticas significativas no mesmo grupo. Quando falamos de indivíduos treinados as séries múltiplas não são apenas convenientes, mas necessárias , para qualquer que seja o objetivo. Atente para o exemplo: Um indivíduo deseja aumentar a massa muscular e são prescritos 6 sets de 15 repetições para a parte anterior da coxa, o que ocorreria se ao invés de usar intervalos, o mesmo realizasse 90 repetições consecutivas?
1- Haveria predominância da atuação das fibras de contração lenta, já que a resistência utilizada dificilmente atingiria o limiar de estimulação das fibras de contração rápida.
2- O percentual de 1RM seria muito baixo no segundo caso, reduzindo muito os níveis de lesão tecidual, outra condição importante para que haja o aumento da célula muscular.
3- O trabalho seria extremamente metabólico, o que poderia elevar o conteúdo de água dentro das células, porém não causaria o aumento significativo da síntese protéica.
Espero que possa ter sido claro. Caso não fique satisfeito observe os estudos no livro de Kraemer e Fleck, Fundamentos do treinamento de força muscular, Ed. Artmed.


638. Trabalho de força e velocidade no futebol infantil- 07/09/03
Como deveria ser o trabalho de força e velocidade no futebol para a categoria juvenil? Ricardo - Preparador Físico
Oi Ricardo, veja o que o Prof. Ms. Fabio Aires da Cunha currículo) lhe retorna:
Caro Ricardo, Se você observar os artigos publicados no site, encontrará muitas informações sobre sua pergunta.
Os atletas na categoria juvenil podem realizar inúmeras atividades para esse tipo de trabalho, o mais importante que deve observar é a carga e a intensidade de trabalho, os exercícios podem ser os mais variados possíveis.
Uma suposição errônea é que os atletas jovens não podem realizar um trabalho de força, o que deve ser evitado é um trabalho de hipertrofia, mas trabalhos de potência podem ser realizados tomando os devidos cuidados.
Referências:
Estudo do treinamento Físico Aplicado à Categoria Juvenil (Sub-17) em Equipes de Futebol do Estado de São Paulo. FABIO AIRES DA CUNHA. Dissertação (Mestrado). Guarulhos. Universidade Guarulhos, 2003.
O treinamento total para jovens campeões. TUDOR BOMPA, São Paulo: Manole, 2002.
Futebol: treino da qualidade do movimento para atletas jovens. S. Golomazov e B. Shirva. São Paulo: FMU, 1996.
Futebol Total. Jürgen Weineck. Guarulhos: Phorte, 2000.
Treinamento para crianças e jovens. FABIO AIRES DA CUNHA,2003.

Um abraço, Fabio.
Postar um comentário

ITANHAÉM, MEU PARAÍSO

ITANHAÉM, MEU PARAÍSO
Caiçara por opção, itanhaense de coração. O que você precisa para ser feliz?

Quem sou eu

Minha foto

Da capital, já morei entre verde e bichos, na lida com animais e plantas: anos de injeção, espinho de ouriço, berne, parto de égua e curva de nível, viveiros, mudas, onde encontrei tempo para lecionar inglês, alfabetizar adultos e ler livros, na solidão do mato. 

Paixões se sucederam e convivem até hoje: Contabilidade, Economia, Arquitetura (IMES, MACK), a chácara e, afinal, o Direito (FDSBC, cursos e pós graduações). No Judiciário desde 2005, planto, replanto, reciclo, quebro paredes, reconstruo, estudo, escrevo e poetizo, ao som de passarinhos, que cantam nossa liberdade.

Não sou da cidade, tampouco do campo. Aprendiz, tento captar o que a vida oferece, para que o amanhã seja melhor. Um mundo melhor, sempre.

Agora em uma cidade mágica, em uma casa mágica, na qual as coisas se transformam e ganham vida; mais e mais vida. Minha cidade-praia-paraíso, Itanhaém.

Nesta casa de espaços amplos e um belo quintal, que jamais é a mesma do dia anterior, do minuto anterior (pois a natureza cuida do renovar a cada instante o viço, as cores, flores, aromas e sabores) retomei o gosto pelo verde, por releituras de espaços e coisas. Nela planto o que seja bom de comer ou de ver (ou deixo plantado o que Deus me trouxe), colho, podo, cozinho os frutos da terra, preparo conservas e invento pratos de combinações inusitadas, planejo, crio, invento, pinto e bordo... sonho. As ideias brotam como os rebentos e a vida mostra-se viva, pulsante.

Aqui, em paz, retomo o fazer miniaturas, componho terrários que encantam, mensagens de carinho representadas em pequenas e delicadas obras. 

Muito prazer! Fique à vontade, passeie um pouco: questões de Direito, português, crônicas ("causos"), jardinagem e artesanato. Uma receita, uma experiência nova, um redescobrir. 

Pergunte, comente, critique, ok? A casa é sua e seu comentário será sempre bem-vindo.

Maria da Gloria Perez Delgado Sanches

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

Arquivo do blog