VEM PRO GOOGLE

VOCÊ ENCONTROU O QUE QUERIA? PESQUISE. Nas guias está a matéria que interessa a você.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.

TENTE OUTRA VEZ. É só digitar a palavra-chave.
GUIAS (OU ABAS): 'este blog', 'blogs interessantes', 'só direito', 'anotações', 'anotando e pesquisando', 'mais blogs'.

quinta-feira, 24 de maio de 2012

VEJA DICAS PARA PREVENÇÃO DA ANSIEDADE

De acordo com a OMS (Organização Mundial da Saúde), a doença atinge 10 milhões de brasileiros

Mal do século. É assim que estudiosos vêm classificando a ansiedade na vida das pessoas ultimamente. Ao lado da depressão, ela é considerada uma doença e requer cuidados específicos de acordo com cada caso.

Apesar de ser vista como benéfica ao ser humano por preparar o indivíduo antes de situações de risco, a... 
(clique em "mais informações" para ler mais)
ansiedade torna-se um problema quando alguns de seus sintomas passam a ocorrer constantemente, como taquicardia, dores de cabeça e suor nas mãos.

Em entrevista ao Canal Livre
, o psiquiatra Márcio Bernik, coordenador do laboratório de ansiedade do Hospital das Clinicas de São Paulo e o psiquiatra e psicoterapeuta Tito Paes de Barros Neto, pesquisador e mestre pelo Departamento de Psiquiatria da USP (Universidade de São Paulo), explicaram as características da doença e como ela deve ser tratada.

Prevenção

“Muito sofrimento vem das pessoas tentarem se protegem de todos os riscos possíveis. Nunca conseguiremos evitar uma morte ou um assalto. Temos que deixar a vida rolar e tentar prevenir somente os riscos prováveis. Então separar o que é possível e o que é provável é fundamental”, aconselhou.

Se você tem medos pequenos e que incomodam sua vida, mas você não esta preparado para tratar, tente trabalhar uma aproximação, ou seja, sair de uma zona de conforto e se aproximar progressivamente daquela situação que causa o temor”, completou Bernik.

Diferenças

Segundo os especialistas, há três tipos de fobia mais comuns. Agorafobia (medo de lugares fechados), fobia social (medo de ser avaliado negativamente), e fobias específicas, relacionadas a animais, insetos e lugares altos.

Para Bernik, o pânico, a fobia e a ansiedade, apesar de estarem relacionadas, possuem diferenças. “Em casos de pânico você está prestes a ser morto e sai correndo em uma fuga desgovernada. Já na fobia você se esquiva e evita situações negativas em uma ação mais organizada, enquanto que a ansiedade tem a ver com a preocupação do ser humano em relação ao futuro”, explicou.

Outro ponto destacado foi a forma como os especialistas lidam com cada caso. Segundo os psiquiatras, a medicina trabalha com categorias gerais de comportamentos e não tem como tratar sintomas particulares. Sendo assim, as características específicas dos transtornos de cada pessoa não recebem tanta importância como a base do seu distúrbio.

Diante de casos mais complicados, os psiquiatras ainda defenderam o trabalho em conjunto com psicólogos, como em casos de pessoas com tendências suicidas, ou então indivíduos que não encontram motivação para procurar ajuda médica.

Novas ansiedades

De acordo com Bernik, a ansiedade é responsável por manter o ser humano vivo em muitas vezes. Entretanto, diante da nova vida moderna, novas formas de ansiedade foram criadas pela sociedade, como competições dentro de empresas ou escola e grandes aglomerações. “Se formos pensar na quantidade de proteção que temos hoje contra causas naturais como chuvas torrenciais, podemos dizer que trocamos algumas ansiedades por outras”, destacou.

Questionado sobre a ligação entre a ansiedade dos pais influenciar seus filhos ao longo da infância, Tito Paes de Barros lembrou que existem casos hereditários da doença. “Exemplo clássico é a fobia de sangue, onde encontramos históricos na família em 70% dos casos. Quase sempre algum membro próximo da família tem o mesmo tipo de problema”, disse.

“Além disso, a ansiedade pode ser aprendida e modelada. Uma criança que vê a mãe em cima de uma mesa devido a uma barata irá pensar que este inseto é um animal ameaçador e também desenvolver este mesmo comportamento”, completa Tito.

Reflexo na saúde

A ansiedade, de acordo com os psiquiatras, pode desencadear outras doenças graves no ser humano. “O impacto de anos e anos de ansiedade com o aumento de hormônios de stress, que embora nos ajudem em momentos complicados, a longo prazo destroem a nossa saúde. Então ao sofrer de ansiedade por 20, 30 anos em sequência aumenta seu risco de doença cardíaca, por exemplo”, afirmou Márcio Bernik.

O uso de medicação controlada possui um papel importante no tratamento de pacientes com transtornos de ansiedade. Entretanto, para Tito Paes de Barros, ainda há a necessidade de terapia comportamental. “Por exemplo, na fobia social a medicação diminui os sintomas, mas se o paciente cresceu num ambiente com poucas interações sociais e não desenvolveu habilidades sociais, não há remédio que cure isso. Terá que ser feito um verdadeiro treinamento”, encerrou.

Matéria disponibilizada no site:  http://www.band.com.br/viva-bem  
Respeite o direito autoral.
Gostou? Faça uma visita aos blogs. É só clicar nos links:
Esteja à vontade para perguntar, comentar ou criticar.
Um abraço!
Thanks for the comment. Feel free to comment, ask questions or criticize. A great day and a great week! 

Maria da Glória Perez Delgado Sanches
Postar um comentário

ITANHAÉM, MEU PARAÍSO

ITANHAÉM, MEU PARAÍSO
Caiçara por opção, itanhaense de coração. O que você precisa para ser feliz?

Quem sou eu

Minha foto

Da capital, já morei entre verde e bichos, na lida com animais e plantas: anos de injeção, espinho de ouriço, berne, parto de égua e curva de nível, viveiros, mudas, onde encontrei tempo para lecionar inglês, alfabetizar adultos e ler livros, na solidão do mato. 

Paixões se sucederam e convivem até hoje: Contabilidade, Economia, Arquitetura (IMES, MACK), a chácara e, afinal, o Direito (FDSBC, cursos e pós graduações). No Judiciário desde 2005, planto, replanto, reciclo, quebro paredes, reconstruo, estudo, escrevo e poetizo, ao som de passarinhos, que cantam nossa liberdade.

Não sou da cidade, tampouco do campo. Aprendiz, tento captar o que a vida oferece, para que o amanhã seja melhor. Um mundo melhor, sempre.

Agora em uma cidade mágica, em uma casa mágica, na qual as coisas se transformam e ganham vida; mais e mais vida. Minha cidade-praia-paraíso, Itanhaém.

Nesta casa de espaços amplos e um belo quintal, que jamais é a mesma do dia anterior, do minuto anterior (pois a natureza cuida do renovar a cada instante o viço, as cores, flores, aromas e sabores) retomei o gosto pelo verde, por releituras de espaços e coisas. Nela planto o que seja bom de comer ou de ver (ou deixo plantado o que Deus me trouxe), colho, podo, cozinho os frutos da terra, preparo conservas e invento pratos de combinações inusitadas, planejo, crio, invento, pinto e bordo... sonho. As ideias brotam como os rebentos e a vida mostra-se viva, pulsante.

Aqui, em paz, retomo o fazer miniaturas, componho terrários que encantam, mensagens de carinho representadas em pequenas e delicadas obras. 

Muito prazer! Fique à vontade, passeie um pouco: questões de Direito, português, crônicas ("causos"), jardinagem e artesanato. Uma receita, uma experiência nova, um redescobrir. 

Pergunte, comente, critique, ok? A casa é sua e seu comentário será sempre bem-vindo.

Maria da Gloria Perez Delgado Sanches

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

MARQUINHOS, NOSSAS ROSAS ESTÃO AQUI: FICARAM LINDAS!

Arquivo do blog